Arena conta Tiradentes: um capítulo do teatro político brasileiro

Share

“Nós, somos o Teatro de Arena   Nossa função é contar histórias. O teatro conta o homem; às vezes conta uma parte só: o lado de fora, o lado que todo mundo vê mas não entende, a fotografia. Peças em que… Continue Lendo

João do Rio – cronista em trânsito

Share

Por Guilherme Rabelo Fernandes O choque entre a tradição e a inovação que se deu na cidade do Rio de Janeiro no início do século XX tem como uma das principais testemunhas o jornalista-escritor João do Rio.  Ele deixou uma… Continue Lendo

Teresa Margarida, a primeira romancista brasileira

Share

Por Gabrielle Gonçalves de Carvalho “Leitor prudente, bem sei que dirás ser o melhor método não dar satisfações; mas tenho razão particular, que me obriga a dizer-te, que não culpes a confiança de que me revisto, para representar a figura… Continue Lendo

Editores artesanais: O Gráfico Amador

Share

Uma editora é considerada artesanal quando suas tiragens são baixas e os processos de impressão não são industriais, trazendo à tona a manualidade do trabalho em cada exemplar. O Gráfico Amador foi uma editora artesanal que existiu no Recife na… Continue Lendo

Início do romance proletário no Brasil – O Gororoba

Share

Publicado em 1931, o romance O Gororoba, escrito por Lauro Palhano, pseudônimo de Juvêncio Lopes da Silva Campos, foi um dos primeiros a retratar o cotidiano dos trabalhadores brasileiros e as dificuldades enfrentadas ao longo de suas vidas e se diferencia… Continue Lendo

Uma utopia socialista em Santa Catarina: testemunho de uma jornalista militante

Share

50 anos antes da experiência anarquista da Colônia Cecília no Paraná, em 1841 houve em Santa Catarina uma outra tentativa de estabelecer uma organização política paralela no Brasil. Phalanstère du Brésil – voyage dans l’Amerique Meridionale (1842) é uma publicação… Continue Lendo

Raridades da poesia marginal

Share

Se houvesse um levantamento dos livros que despertam mais curiosidade no acervo de qualquer biblioteca de livros raros, não seria arriscado apostar que as edições mais antigas, com encadernações sisudas, ilustradas por artistas conhecidos e contendo dedicatórias ou anotações de… Continue Lendo

Vidas Secas – a história por trás do título

Share

Se é válida a recomendação de não se julgar um livro pela capa, o mesmo deve valer para seu título. Mas se a capa pode mudar de edição para edição, o título permanece e se oferece ao leitor como a… Continue Lendo

Graciliano Ramos (o Prefeito) e seus Relatórios de Gestão

Share

Em 7 de outubro de 1927, uma pequena cidade do interior de Alagoas, Palmeira dos Índios, elegeu o seu prefeito. Este, toma posse em 7 de Janeiro de 1928 permanecendo no cargo até 10 de Abril de 1930, quando renuncia ao… Continue Lendo

O capítulo excluído de Macunaíma

Share

Em sua primeira edição, publicada em 1928, Macunaíma era composto por 18 capítulos e um epílogo. A partir da segunda edição, que saiu em 1937, a rapsódia de Mário de Andrade contava com 17 capítulos e um epílogo. O que… Continue Lendo