Diversidade e abundância: Novo Descobrimento do Grande Rio das Amazonas, de Cristóbal de Acuña

Share

Embora muitas vezes fantasiosa, a descrição que o padre Cristóbal de Acuña elaborou sobre o Rio Amazonas contém informações preciosas sobre o passado da ocupação humana na região Continue Lendo

Cora, a filha de Ágar, uma Drama Abolicionista no Brasil do Século XIX

Share

por Lucas Fernandes A partir dos anos de 1870 crescem os movimentos abolicionistas no Brasil. Nesse contexto, a peça Cora, a filha de Ágar, se vale do teatro para participar das discussões trazidas por esses movimentos. Teatro e abolição Cora, a filha de… Continue Lendo

Rede Cariniana (IBICT) lança glossário sobre preservação digital

Share

A Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital (Cariniana) do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) lançou, no evento comemorativo de seus 10 anos, o ‘Glossário da Rede Cariniana sobre Preservação Digital’, com uma extensa lista de conceitos e termos que auxiliam na compreensão da literatura da área. Continue Lendo

Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin chega como parceira no portal Brasiliana Iconográfica

Share

Plataforma virtual de imagens históricas criada e mantida pela Biblioteca Nacional, Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural e Pinacoteca de São Paulo ganha reforço de imagens dos séculos XVI e XVII da coleção abrigada na Universidade de São Paulo. A Brasiliana… Continue Lendo

“O relógio de ouro”: Três versões de um conto de Machado de Assis

Share

por Ingrid Benicio Dos jornais ao domínio público, a escrita de Machado de Assis passou por modificações premeditadas e imprevistas pelo autor ao longo dos anos. É o caso do conto “O relógio de ouro”, que circula em três edições substancialmente… Continue Lendo

Lima Barreto: crônicas e resistência

Share

Na crônicas de Bagatelas, Lima Barreto se vale de uma linguagem despojada e corriqueira que dispensa arabescos literários para se aproximar do “leitor comum” Continue Lendo

Na marginália da Paulicéia: o personagem-autor Juó Bananère

Share

Passeando pelos bairros operários da São Paulo do começo do século XX, conheceremos o autor-personagem Juó Bananère, pseudônimo macarrônico do engenheiro Alexandre Machado. Através da irreverência literária, do humor e da pluralidade linguística, ele nos mostrará as margens, os marginalizados e o cotidiano caótico da Paulicéia que se tornaria o berço do Modernismo brasileiro nos anos seguintes. Continue Lendo

Tratado Descritivo do Brasil em 1587

Share

O Tratado Descritivo do Brasil, escrito por Gabriel Soares de Sousa, conta em detalhes e com riqueza de exemplos os traços mais marcantes do Brasil quinhentista. Os caranguejos, o pau brasil, a rota dos ventos, os costumes dos indígenas, a fertilidade do solo, os engenhos de açúcar e muitos outros tópicos dividem as páginas deste livro, considerado fundamental para a compreensão de como se deram os primeiros contatos dos portugueses com esta terra e com a gente que nela vivia. Continue Lendo

Línguas indígenas, missionários e dominação colonial: o Catecismo da doutrina christãa na lingua brasilica da nação kiriri

Share

O Catecismo da doutrina christãa na lingua brasilica da nação Kiriri, foi escrito pelo padre Mamiani. Nascido na Itália, em 1652, Luís Vincêncio Mamiani entrou para a Companhia de Jesus com 16 anos. Em 1684, sai de Lisboa e vai à Bahia, com o intuito de atuar na Missão do Maranhão. Continue Lendo

Isabel Lady Burton, uma viajante oitocentista

Share

por Patricia Freire do Nascimento Isabel Lady Burton foi uma viajante, exploradora, tradutora e escritora inglesa que viveu no século XIX. Marginalmente conhecida por ser esposa do diplomata, explorador e escritor Richard Burton, ao longo de sua própria vida, Isabel também… Continue Lendo