Da Nação

Share

Por Alaine Lizandra

Olha, acredito que existam pelo menos dois tipos de nacionalismo: aquele pros estrangeiros e o outro pra nós. O autoconhecimento é sempre difícil, né? Imagem de brasileiro pra gringo a gente sabe bem qual é. Eis o gringo (leia com o devido sotaque): caipirinha, carnaval, clima tropical, praias, mulheres bonitas e bronzeadas, o povo é sempre muito alegre… Aah, e que espertinhos, eim?! O famoso “jeitinho brasileiro”! Brazil is very beautiful, but there is a lot of violence… Obrigado!

Na real, existe muito além disso e nós BR’s, sabemos bem, pois são vários Brasi’s no Brasil.

Em São Paulo, trem é um pesadelo diário. Em Minas Gerais qualquer trem é qualquer coisa e qualquer coisa pode ser um trem, uai! No Rio Grande do Sul, eu diria que o arroz carreteiro que a mãe faz é tri bom! Na Bahia eu falaria sobre a delícia que é o vatapá de mainha… Em Brasília cê escolhe: pode passear pela cidade de baú, mas também dá pra ser mais fitness e se deslocar de camelo! Borimbora pra Belém do Pará que tem um tacacá que é Pai d’égua! E da Bossa Nova ao baile funk, do morro ao axfalto, é cada praia que merrrmão… Vô fala pra tu ó: o Rio de Janeiro continua lindão! Tudo isso e muitíssimo mais é Brasil!

É tão obvio que nem deveria estar no texto, porém, todavia, entretanto, é bom lembrar: paulistano tem sotaque sim!!! Tem inclusive dialeto… Daí, eu tava escrevendo esse texto, né mano, quando penso que não, me vem na mente que ser brasileiro é uma fita bem loca de explicar, tem a vê com bagulho de miscigenação, tá ligado? Ser BR tá no sangue. Se pá, as mistura toda é que torna o Brasil uma nação, o role de ser brasileiro é issaí tio… Mó fita né, mano?

Vamos agora esclarecer as motivações para as cores da bandeira: com certeza o verde representa as matas, o amarelo é o ouro, o azul… Ah, o azul tá óbvio, né gente? É que Brasil é nome masculino né, todos sabemos agora que o azul é a cor só dos meninos! Mas sabe o motivo de essa bandeira não fazer mais sentido? Bom, além da associação imediata com determinados tipos de reações. E lembra das matas? Grande parte está sendo desmatada pelos agronegócio tudo. Agro é pop! Não, o agro é tóxico. E o ouro? O ouro foi passear na Europa e passa bem por lá, diz que sente falta da família, mas de resto…

Engraçado que uma cor que não tem na bandeira é o vermelho… Calma, não quero sugerir nada demais com isso, são tempos difíceis, eu sei… olha, nada contra o verde e amarelo viu? Até que orna com bastante coisa, ambas misturadas dão no tom exato do sapo que a gente não vai engolir… Eu nem gosto de sapo mesmo… Mas uma bandeira dessas deveria ter vermelho sim, oras, não há nada nela que simbolize a matéria mais abundante deste país e não estou nem me referindo à água, mas sim, ao sangue.

Sangue dos próprios donos da terra, estes que chamamos de “índios” nome dado pelo opressor. Posso eventualmente usar essa nomenclatura porque a gente naturalizou isso, mas farei as devidas problematizações: não dá pra misturar as diversas etnias nativas no mesmo balaio, foi assim que iniciaram o apagamento da história destes povos e da mesma forma fizeram no continente africano. Quando o português chegou, munido de uma bruta fúria, matou o “índio”, que pena… Fossem antes alertados do perigo iminente, os nativos teriam expulsado o português! Poxa Oswald, quem dera a ausência de roupas fosse a solução para brecar o ímpeto do colonizador em explorar e destruir absolutamente tudo. Isso foi em 1500 e os “índios” lutam sem descanso até hoje.

Além disso, há sangue dos negros sequestrados: diversos povos trazidos do continente africano para serem escravizados aqui. Petróleo aqui é a grande quantidade de sangue derramado que penetrou os solos do Brasil, aqui a carne mais barata do mercado continua sendo a carne negra e nós sabemos bem!

Veja bem: a terra não pertence a ninguém, logo, a terra é de todos, certo? Certo! Aí homens brancos, hiper vestidos, peludos e com escorbuto decidem se apropriar da terra… Vocês que acreditam na meritocracia conseguem ver algo de errado aqui? Pois é, eles não pagaram pela terra, se apropriaram dela, mataram, estupraram e ainda surrupiaram muitas coisas. Depois os herdeiros destas terras continuaram ricos e querem vender a ideia de que “o trabalho dignifica o homem”. Eu compreendo, portanto, o motivo de muitos burgueses não serem dignos. E hoje ainda têm coragem de criminalizar movimentos como o MST… Justiça incoerente e seletiva, me parece que não mudou muito de 1500 para 2019! É tanto sangue jorrando neste país que até atraímos vampiros para cargo de presidência… Uau, que caminhos sombrios estamos tomando neste texto! De variações regionais a injustiças e violência: o Brasil é tudo isso mesmo.

Prato amado Brasil: feijão acima de tudo, farofa acima de todos! (há quem discorde da disposição, mas a ordem dos fatores não altera o progresso! Será?)

(Este artigo faz parte do Boletim 3X22, uma publicação bimestral da BBM. Para conferir outros, acesse: https://www.bbm.usp.br/3×22)

3x22

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *