Carlos Henrique Marcondes

Share

II Seminário BBM de Bibliotecas Digitais – em REDE (Políticas, Metodologias, Tecnologias)

O Profº Drº Carlos Henrique Marcondes proferiu a palestra:

Por uma Política Brasileira para Acesso Integrado e Utilização dos Acervos Digitais em Memória e Cultura

Ressaltou a importância do evento na atual conjuntura para as Bibliotecas e instituições de Memória e Cultura no Brasil, onde a Universidade pode debater, pesquisar, propor novas metodologias para o setor produtivo da informação que são as Bibliotecas, Museus e Arquivos, sobretudo os seus acervos digitais.

Como acervos digitais de memória e Cultura podem ser disponibilizados de forma integrada, valorizando estes acervos em prol da educação e da Cultura ?

Assim a palestra trouxe para a discussão os problemas, e sugestões para uma Política Brasileira para o acesso integrado e utilização dos acervos digitais em Memória e Cultura:

  • trazendo um panorama brasileiro dos acervos digitais em Memória e Cultura;
  • Questões chave para o acesso integrado e utilização dos acervos digitais em Memória e Cultura;
    • Reuso, licenças de uso, identificadores persistentes ;
    • Vocabulários;
  • Sugestões para a Curadoria de Acervos Digitais;

Exemplos de Plataformas integradoras de acervos:

Plataformas com plasticidade (reuso, recombinação, mixagem); Novos usos para novos usuários em novos meios de acesso.

Apresentou um panorama geral de acervos digitais em Memória e Cultura no Brasil.

Não é sustentável projetos de digitalização, sem uma estratégia de disponibilizar estes acervos digitalizados (Digitalização X Disponibilização)

O que é preciso fazer para facilitar a integração?

  • Reuso, Dados Abertos, Princípios FAIR (findable, accessible, interoperable, reusable – https://5stardata.info/pt-BR/);
  • Licenças de uso;
  • Identificadores Persistentes;
  • Vocabulários (Sistemas de Metadados) – Precisão Semântica de terminologias a Ontologias

Bibliotecas Digitais orientadas a Registros => para Bibliotecas Digitais heterogêneas orientadas a modelos conceituais e LinkedDatas.

A possibilidade de recuperação da Informação está diretamente relacionada com a forma de como os dados foram tratados e dado input no sistema.

Metadados: Quanto mais ricos, maiores as possibilidades de recuperação/manipulação; contexto, pontos de acesso, flexibilidade, reuso.

Apresentou também uma série de Vocabulários (usando um conceito mais amplo: Termos + Relações e Metadados) e as possibilidades de LinkedData

A ideia para o pleno uso destes vocabulários é que:

  • Conceitos sejam identificados por identificadores persistentes;
  • Uso de mais de um vocabulário simultaneamente;
  • “Enriquecimento semântico automático;
  • Termos em mais de um idioma.

Importância em construir vocabulários padronizados e (re)utilizados por diversas instituições

Curadoria de Acervos:

  • Marcar os itens do acervo como “Destaques” (usar p/ex; o campo MARC21 590 -local notes;
  • Subdividir o acervo em diferentes coleções;
  • Usar campos de Metadados como Links;
  • Usar identificadores persistentes;

Finalizou ressaltando a importância em promover eventos periódicos sobre os diversos aspectos dos acervos digitais de memória e cultura; Projetos conjuntos e interinstitucionais, Hubs de discussão, Projetos comuns e incrementais; Cursos de atualização tecnológica; Uso e Reuso; busca conjunta por recursos.

LINK para Apresentação

Rodrigo M. Garcia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.